Entrevista: Artigo na Revista Guitarra Clássica    

• Viola Campaniça II
Este exemplar pertençe ao chamado modelo grande, com um comprimento da corda vibrante de 585mm e uma afinação em lá; fá#; ré; sol; ré.

As madeiras usadas foram a casquinha (pinus sylvestris) para as ilhargas, fundo, braço e cravelhal; o espruce (picea abies) para o tampo harmónico, barras e contra ilhargas; o pau-santo (dalbergia nigra) para o espelho frontal do cravelhal, cavalete móvel e escala; a pereira (pirus comunis) para o cavalete fixo e por fim o Buxo (buxus sempervirens) na construção das cravelhas.

A cola animal foi usada em todas as colagens e por fim foi aplicada a cor castanha (anilina a álcool) e um verniz de goma laca em todo o instrumento com excepção do tampo harmónico onde foi usada a cera como protecção e acabamento.

Bibliografia:

-Alberto Sardinha, José; "Viola Campaniça o outro Alentejo"; Tradison, 2001, Vila Verde.

- Veiga de Oliveira, Ernesto; "Instrumentos Musicais Populares Portugueses"; Fundação Calouste Gulbenkian / Museu Nacional de Etnologia, 3ª edição, 2000, Lisboa.
 
  © 2006-2017 Orlando Trindade.com - Todos os direitos reservados.

 

  Desenhado para I.E. 5.x ou superior / 1024x768